http://www.makepovertyhistory.org

Friday, September 16, 2005

Fobia social

A fobia social é a intensa ansiedade gerada quando se é submetido à avaliação de outras pessoas. Essa ansiedade ainda que generalizada não se estende a todas as funções que uma pessoa possa desempenhar. Na maioria das vezes concentra-se sob tarefas ou circunstâncias bem definidas. É natural sentir-se acanhado quando se é observado: esse desconforto até certo ponto é normal e aceitável, muitas vezes vantajoso.
Para fazer o diagnóstico é necessário que a pessoa com fobia social apresente uma forte sensação de ansiedade ou desconforto sempre que exposta a determinadas circunstâncias. A ocorrência eventual para as mesmas situações como, por exemplo, escrever sendo observado exclui o diagnóstico de fobia social.O fóbico social sente-se muito incomodado todas as vezes que alguém o observa escrevendo. A intensidade desta reação de ansiedade é desproporcional ao nervosismo que esta situação exigiria das pessoas em geral, e isso é reconhecido pelo paciente. No momento em que a pessoa é exposta a situação fóbica, a crise de ansiedade é de tal forma intensa que parece uma crise de pânico. Por causa de todo o desconforto envolvido nessa situação a pessoa passa a apresentar um comportamento de evitação para estas situações.
Não há sintomas típicos de fobia social; como qualquer transtorno de ansiedade os sintomas são aqueles típicos de qualquer manifestação de ansiedade. O que caracteriza a fobia social particularmente é o desencadeamento dos sintomas sempre que a pessoa é submetida à observação externa enquanto executa uma actividade. Observa-se dentre os fóbicos tremores, suores, sensação de bolo na garganta, dificuldade para falar, mal estar abdominal, diarréia, tonteiras, falta de ar, vontade de sair do local onde se encontra o quanto antes. A preocupação por antecipação com as situações onde estará sob apreciação alheia, desperta a ansiedade antecipatória, fazendo com que o paciente fique vários dias antes de uma apresentação sofrendo ao imaginar-se na situação:
. Escrever ou assinar em público
. Falar em público
. Dirigir, estacionar um carro enquanto é observado
. Cantar ou tocar um instrumento musical
. Comer ou beber
. Ser fotografado ou filmado
Os pacientes com fobia social geralmente não conseguem dizer não a um vendedor insistente, compram um produto de que não precisam, só para se verem livres daquele vendedor, mas também nunca mais voltam àquele lugar. Os namoros muitas vezes são aceitos por conveniência e não por desejo verdadeiro. Os fóbicos sociais freqüentemente têm uma auto-estima baixa e julgam que devem aceitar a primeira pessoa que surge porque acham que não despertarão os interesses em mais ninguém.

9 Comments:

Anonymous Anonymous said...

Huffington on blogs, journalism, and mainstream media
I've always liked Arianna Huffington. I was never sure exactly what her politics were , but I just ... Recent Posts Talk Talk: Who's on the late night shows tonight (9/15/2005) What's on tonight: Poker, Probst, and poking fun at Hollywood (9/15/2005) Previously on HDBeat (9/15/2005) Guest starring on Veronica Mars: Joss Whedon?

This is an excellent blog which I will visit on a regular basis.

I have a cad drafting service site. It pretty much covers cad drafting service related stuff.

Please visit sometime and see if you like it. And good luck to your fascinating blog!

12:06 PM  
Anonymous Baunilha said...

"Se quiser, finalmente, evitar as agruras do pânico e do embaraço, siga a carreira de fóbico social, mas sem nunca se expôr nem transgredir. Quando muito, pode experimentar uma ou outra fobia específica muito precocemente. Depois, travões a fundo: nunca contacte com os outros e prepare-se para ter uma vida isolada, se possível, dentro da sua família nuclear. Evite as palavras, pelo menos faladas (pode escrever poesia para a gaveta). Habitue-se a conquistar os outros, não directamente, mas indirectamente: dê-lhes presentes, faça boa comida, pinte, aprenda a ser músico. Tem a chance de se tornar um bom artista.
Habitue-se a pensar que o mundo é impossível e que, sobretudo, as pessoas são perigosas (também tem direito a fazer as suas paranóias). Nunca funcione em grupo. Nunca arrisque, e desconfie das oportunidades que lhe aparecem. Vigie bem os outros e esteja atento ao menos sinal de crítica, a fim de que possa cortar imediatamente com eles. Nunca aceite um relacionamento, mesmo profissional, sem que tenha a certeza de ser aceite incondicionalmente. Tenha, apesar de tudo, esperança, porque existe sempre alguém que gosta de apoiar a desgraça. Senão, resta-lhe esperar pelo príncipe encantado, já que esta carreira é especialmente destinada a mulheres.
Se quiser continuar tranquilamente nesta carreira, tem de seguir escrupulosamente estes conselhos e, sobretudo, nunca se arriscar a outros voos (o que poderia acontecer, por exemplo, através da bebida). Verá que consegue ficar cada vez mais sozinho, e ter cada vez menos jeito para estar com os outros, mas antes só que mal acompanhado. O facto é que, se alguma vez infringir estes conselhos, corre o risco de mudar de ramo e de encetar qualquer outra carreira mórbida." in "Como Tornar-se Doente Mental" (Como Tornar-se Fóbico - variante Personalidade Evitante, pág. 31) de J. L. Pio Abreu

2:02 PM  
Anonymous Baunilha said...

"Se quiser, finalmente, evitar as agruras do pânico e do embaraço, siga a carreira de fóbico social, mas sem nunca se expôr nem transgredir. Quando muito, pode experimentar uma ou outra fobia específica muito precocemente. Depois, travões a fundo: nunca contacte com os outros e prepare-se para ter uma vida isolada, se possível, dentro da sua família nuclear. Evite as palavras, pelo menos faladas (pode escrever poesia para a gaveta). Habitue-se a conquistar os outros, não directamente, mas indirectamente: dê-lhes presentes, faça boa comida, pinte, aprenda a ser músico. Tem a chance de se tornar um bom artista.
Habitue-se a pensar que o mundo é impossível e que, sobretudo, as pessoas são perigosas (também tem direito a fazer as suas paranóias). Nunca funcione em grupo. Nunca arrisque, e desconfie das oportunidades que lhe aparecem. Vigie bem os outros e esteja atento ao menos sinal de crítica, a fim de que possa cortar imediatamente com eles. Nunca aceite um relacionamento, mesmo profissional, sem que tenha a certeza de ser aceite incondicionalmente. Tenha, apesar de tudo, esperança, porque existe sempre alguém que gosta de apoiar a desgraça. Senão, resta-lhe esperar pelo príncipe encantado, já que esta carreira é especialmente destinada a mulheres.
Se quiser continuar tranquilamente nesta carreira, tem de seguir escrupulosamente estes conselhos e, sobretudo, nunca se arriscar a outros voos (o que poderia acontecer, por exemplo, através da bebida). Verá que consegue ficar cada vez mais sozinho, e ter cada vez menos jeito para estar com os outros, mas antes só que mal acompanhado. O facto é que, se alguma vez infringir estes conselhos, corre o risco de mudar de ramo e de encetar qualquer outra carreira mórbida." in "Como Tornar-se Doente Mental" (Como Tornar-se Fóbico - variante Personalidade Evitante, pág. 31) de J. L. Pio Abreu

2:02 PM  
Anonymous Baunilha said...

Desculpa, uma vez chegava...

2:04 PM  
Blogger smooth_word said...

lol, definitivamente tens de me emprestar o dito livro...

2:24 PM  
Blogger lazuli said...

muito interessante, smooth. Já aconteceu ter que falar para umas 2 centenas de pessoas, sem imaginar que eram tantas. Deu-me uma reacção alérgica que até fiquei com borbulhas durante uma semana, tal foi o esforço para conter a ansiedade:)

2:45 AM  
Anonymous Anonymous said...

epa. nem sequer vou comentar. custa-me a querer que tenhas uma fobia social. qual é a diferença entre a fobia social e a timidez??
situações que odeio ser observada:
- que me olhem nos olhos
- que olhem para mim enquanto como
- que me observem quando faço algo
- que estejam nas minhas costas
- falar em público
- saber que estou a ser
fotografada.

e eu acho que nao tenho fobia social...

Q

1:06 PM  
Blogger smooth_word said...

Olá
após árdua discussão e trabalho de investigação, cheguei á conclusão que não sofro de fobia social. posso vir a sofrer se continuar nesta persistência de isolamento a que me submeto, mas vou-me esforçar para que tal não aconteça...lol

2:38 PM  
Anonymous Baunilha said...

Ena, ena.

4:41 PM  

Post a Comment

<< Home